Translate

segunda-feira, 24 de abril de 2017

APROVEITAMOS NOSSA LIBERDADE PARA ORAR POR ELES? LEMBRE-SE DE ORAR PELOS CRISTÃOS QUE ENFRENTAM A PERSEGUIÇÃO. ELES PRECISAM SABER QUE NÃO ESTÃO SOZINHOS. NÓS SOMOS UM SÓ CORPO COM ELES.

A semana do dia 1 ao dia 7 de janeiro é a “Semana Universal de Oração”. O nosso dia a dia nem sempre favorece para que tenhamos momentos de comunhão com Deus, mas a Bíblia mostra que o povo de Deus desfrutava da presença do Senhor sempre que o buscava de todo coração e também dá provas de que o espírito alegre abre caminho para se aproximar de Deus. “Prestem culto ao Senhor com alegria; entrem na sua presença com cânticos alegres.” (Salmos 100.2) “Alegrem-se e regozijem-se, porque grande é a recompensa de vocês nos céus, pois da mesma forma perseguiram os profetas que viveram antes de vocês.” (Mateus 5.12) No entanto, a alegria não está separada das lutas que todo ser humano deve enfrentar. Independente da situação é bíblico continuar louvando a Deus, em todo o tempo. Toda honra e toda glória devem ser atribuídas a Ele. “Louvem-no pelos seus feitos poderosos, louvem-no segundo a imensidão de sua grandeza!” (Salmos 150.2) “Portanto, já que estamos recebendo um Reino inabalável, sejamos agradecidos e, assim, adoremos a Deus de modo aceitável, com reverência e temor.” (Hebreus 12.28) Essas duas ideias bíblicas se misturam e acontecem ao mesmo tempo quando as praticamos. A adoração a Deus acontece ao mesmo tempo em que admiramos seus feitos em nossas vidas e ao nosso redor. O coração se alegra e canta. Isso acontece, em especial, com a Igreja Perseguida. Todos aqueles que enfrentam perseguição ao redor do mundo, especialmente os que vivem nos países que fazem parte da Lista Mundial da Perseguição. Mas eles não podem adorar a Deus livremente, mesmo assim o fazem sem recear a morte, e o adoram até o fim. Dessa forma, testemunham o amor de Cristo publicamente. Eles são corajosos e ousados e sustentados pelo Espírito Santo. Quando as dificuldades chegam, eles se apegam à alegria de Jesus. Mesmo em meio às lágrimas e às dores, eles oram como Jesus orou no Monte das Oliveiras. “Estando angustiado, ele orou ainda mais intensamente; e o seu suor era como gotas de sangue que caíam no chão.” (Lucas 22.44) Sabe-se que Jesus enfrentou uma pressão inimaginável quando se preparou para assumir os pecados do mundo. Aqueles que encaram a perseguição compartilham de sua alegria, mas também de sua angústia. Lembre-se de orar pelos cristãos que enfrentam a perseguição. Eles precisam saber que não estão sozinhos. Nós somos um só corpo com eles.