Translate

sexta-feira, 5 de maio de 2017

COREIA DO NORTE ACUSA CIA DE COMPLÔ PARA ASSASSINAR KIM JONG-UN MINISTÉRIO DA SEGURANÇA DENUNCIOU O QUE SERIA UM 'VICIOSO COMPLÔ COM SUBSTÂNCIAS BIOQUÍMICAS' PARA MATAR DIRIGENTE EM CERIMÔNIAS PÚBLICAS

Coreia do Norte acusou nesta sexta-feira (5) a Agência Central de Inteligência (CIA) dos Estados Unidos de conspirar com a Coreia do Sul para assassinar o líder do país, Kim Jong-Un, em um momento de grande tensão na região. A CIA e os serviços de inteligência de Seul planejaram um "vicioso complô com substâncias bioquímicas" para assassinar o dirigente norte-coreano durante cerimônias públicas em Pyongyang, afirma em um comunicado o Ministério da Segurança do Estado. Segundo o texto, para a CIA, "o assassinato por uso de substâncias bioquímicas incluindo substância radioativa e nanossubstância venenosa é o melhor método, que não requer acesso ao alvo". Para realizar o ataque, a CIA e os serviços de inteligência de Seul teriam "corrompido ideologicamente e subornado um cidadão norte-coreano de sobrenome Kim". "Vamos desmascarar e impiedosamente destruir até o último dos terroristas da CIA dos Estados Unidos e do [serviço de inteligência] boneco da Coreia do Sul", continua o comunicado, acrescentando que o enredo é equivalente a uma "declaração de guerra". "O crime hediondo, que foi recentemente descoberto e destruído, é uma espécie de terrorismo não só contra a Coreia do Norte, mas a justiça e a consciência da humanidade", conclui.