Translate

quarta-feira, 24 de maio de 2017

SATANÁS NÃO SE OPÕE À BOA MORAL SATANÁS É CONTRA O NOME DE JESUS! POR HÉLIO ROBERTO

Recentemente, assisti um filme1 extraordinário em que um professor de uma universidade teológica decidiu escrever um livro no qual ele defendia que seria perfeitamente válido ensinar os mandamentos de Jesus, sem dizer que o autor desses ensinos é Cristo, até que outro professor discorda e se opõe à tese levantada pelo seu colega. Infelizmente, essa tem sido a postura de muitos no meio Cristão. No cerne da questão estaria a premissa de que a sociedade cresceria moralmente se aqueles que não aceitam Jesus ao menos aceitassem os seus ensinamentos. O álibi de que atribuir a Jesus determinados ensinos pode gerar resistência por parte dos ouvintes, já que estes não querem saber de Jesus, e que a melhor alternativa seria passar os ensinamentos de Cristo, mas sem citar o Autor, trata-se de um tremendo erro! Veja, Satanás não está nem um pouco preocupado com a boa moral, mas sim com o nome de Jesus, ou seja, Satanás se opõe é ao nome de Jesus. Quando dizemos a uma criança que é errado mentir, mas não a dizemos que é errado mentir porque Jesus assim o disse, então a mentira passa a ser relativizada, já que carece de uma autoridade por detrás. O que quero dizer é que, sem citar a autoridade de Cristo, enquanto mentir é uma conduta imoral para determinada pessoa, é moral para outra, ou seja, a moralidade passa a ser uma questão de opinião, e opinião cada um tem a sua!Quando a boa moral se aparta da autoridade de Cristo, as pessoas passam a achar que fazer coisas boas e corretas é suficiente para que se aproximem de Deus, e isso é um terrível engano! Quantas vezes ouvimos pessoas que não se renderam a Cristo dizer: “Mas eu sou uma boa pessoa”, ou “Eu nunca matei ninguém”, ou mesmo “Eu ajudo os necessitados, por que Deus não me salvaria?”. A partir desse tipo de raciocínio falacioso, os incautos acham que o simples exercício da boa moral, sem Jesus, lhes é suficiente para salvação. Eis, então, o motivo pelo qual Satanás tem trabalhado vorazmente para que o nome de Jesus seja apartado de seus ensinos! Certa feita, Dostoievski disse que “se Deus não existe, então tudo é permitido”. Se a nossa moralidade não estiver fundada em Cristo, ela não serve de absolutamente nada! Se nossas condutas morais não estiverem fundadas em Jesus, certamente elas perecerão com o tempo e não mais direcionarão nosso agir. Lembre-se de como era o cinema americano na década de 1920. Nesse período, havia um comitê de análise do conteúdo dos filmes, antes de suas publicações: Motion Picture Association of America (MPAA). Em seguida, decidiu-se retirar o nome de Jesus dos cinemas, mas manter os seus ensinos. Qual foi o resultado disso? A moral ensinada por Cristo permaneceu por um período, mas logo foi relativizada, dado que, após um tempo, ninguém mais se lembrava qual a autoridade que estava por detrás de determinado preceito, preceito este que passou a ser uma questão de opinião individual. Essa foi a grande estratégia de Satanás: retirar o nome de Jesus das artes, das escolas e da Academia. De forma semelhante ocorreu com as escolas. Proibiu-se que se falasse de Jesus nas salas de aula americanas, restando o humanismo e a moralidade relativizada, ainda que por um tempo tal moralidade estivesse de acordo com os ensinos de Cristo, o que não tardou a se perder. Falar que roubar é errado porque Jesus assim o disse traz consigo a autoridade do Autor na assertiva proibitiva. Caso contrário, você pode vir e dizer a uma criança: “Roubar é pecado”, e ela vir a te responder: “Quem foi que disse?” Vivemos em uma sociedade em que os valores estão totalmente invertidos/relativizados. Pais já não são mais respeitados pelos seus filhos; professores são chacoteados pelos alunos; policiais são afrontados em suas atividades; pessoas mais velhas são humilhadas a todo momento. E por que isso? Porque os preceitos de Jesus já não são ensinados com a autoridade do Autor, que é o próprio Cristo. Não se engane, Satanás não se opõe à boa moral, mas sim ao nome de Jesus! Pessoas têm deixado de citar Jesus, como se citar o nosso Mestre fosse um demérito ou sinal de anti-intelectualismo, e esse tem sido a grande estratégia do diabo para tirar o nome de Jesus das artes, da escola, da família e das relações sociais. Não tenha receio de dizer: “Jesus disse isso!” Nosso Senhor Jesus é a fonte de toda autoridade, e somente o nome Dele tem representatividade suficiente para evitar que seus ensinos sejam relativizados ou eliminados! Moral sem Jesus não é moral, é opinião. A verdadeira moral só tem sentido se vier chancelada pelo nome de Jesus, pois somente assim ela não perecerá com o tempo. Por fim, lembre-se que os ensinos de nosso Mestre são fonte de vida, alegria, paz e felicidade! Que Deus te abençoe grandemente, em nome de Jesus! Grande Abraço. Referências: Filme: “A Jornada”.