Translate

quarta-feira, 3 de maio de 2017

UM ENCONTRO COM JESUS- A HISTÓRIA DO AVIVAMENTO AZUSA SEGUNDO FRANK BARTLEMAN

Uma noite, 3 de julho, senti fortemente que deveria ir ao pequeno auditório Peniel em Pasadena para orar. Encontrei ali o irmão Boehmer. Ele havia sido guiado por Deus ao mesmo lugar. Oramos por um avivamento em Pasadena até que o fardo de oração se tornou insuportável. Eu chorava como se fosse uma mulher dando à luz. O Espírito intercedia através de nós e finalmente o peso se foi. Depois de uma pequena espera em silêncio, uma grande calma nos sobreveio, e então, sem que o antecipássemos, o Senhor Jesus se nos revelou. Ele parecia estar em pé entre nós, tão perto que poderíamos estender nossas mãos e tocá-lo. Não ousamos entretanto mexer-nos. Eu não podia nem olhar. Na realidade parecia que eu era totalmente espírito. Sua presença foi mais real, se possível, do que se eu o pudesse ter visto e tocado fisicamente. Esqueci-me que possuía olhos e ouvidos. Meu espírito o reconheceu. Um céu de amor divino me encheu e excitou minha alma. Uma chama ardente percorreu meu corpo. Aliás todo meu corpo parecia derreter-se diante dEle, como cera diante do fogo. Perdi toda consciência de tempo e espaço, ficando apenas consciente de sua maravilhosa presença. Fiquei a seus pés em adoração. Era um verdadeiro "Monte da Transfiguração". Perdi-me dentro do puro Espírito! Por algum tempo Ele permaneceu conosco. Depois devagar Ele se retirou. Nós ainda estaríamos lá se Ele não tivesse se retirado. Nunca mais eu poderia duvidar da sua realidade após esta experiência. O irmão Boehmer sentiu quase o mesmo que eu. Havíamos perdido totalmente a consciência da presença um do outro enquanto Ele ficou conosco. Tínhamos quase medo de falar ou respirar quando voltamos ao ambiente que nos rodeava. O Senhor não dissera nada para nós, mas havia arrebatado nosso espírito pela sua presença. Ele havia vindo para fortalecer-nos e encorajar-nos para o Seu serviço. Sabíamos agora que trabalhávamos com Ele e éramos companheiros de Seu sofrimento no ministério de intercessão com angústia de alma. A verdadeira intercessão com angústia de alma é tão nítida no espírito quanto as dores de um parto natural. A semelhança é quase perfeita. Nenhuma alma jamais renasce sem esse processo. Todos os avivamentos de salvação vêm desta maneira. Já alvorecia na manhã seguinte quando deixamos o auditório. Aquela noite no entanto parecia-nos haver durado apenas meia hora. A presença de Deus elimina toda sensação de tempo. Com Ele tudo é eterno: É vida eterna. Deus não conhece o tempo, este elemento se perde no céu. Este é o segredo do tempo parecer passar tão depressa durante uma noite de verdadeira oração. O tempo é colocado num ponto inferior. O elemento eterno está ali. Durante dias aquela presença maravilhosa parecia andar ao meu lado. O Senhor Jesus era tão real para mim que eu mal podia conversar com as outras pessoas de novo. Isto me parecia tão rudimentar e vazio. Os espíritos humanos pareciam tão rudes e o companheirismo humano um tormento. Quão distante nós estamos atualmente do espírito manso de Jesus! Passei o dia seguinte em oração, indo de noite à igreja de Smale onde passei um tempo em intercessão. A paz e a alegria do céu enchiam meu coração. Jesus era tão real! Dúvidas e temores não podem sobreviver na Sua presença.