Translate

segunda-feira, 15 de maio de 2017

PASTOR MARCOS FELICIANO DEPUTADO FEDERAL PELO PSC FALA SOBRE A SUA CHAMADA

Cresci "espiritualmente" em uma Igreja abençoada, um verdadeiro celeiro de grandes homens de Deus. Vou citar apenas alguns, talvez você os conheça: Pr. Paulo Sacramento, de Osasco-SP, Pr. Perozim, de São José do Rio Preto, Pr. Lázaro Benedito, do Mato Grosso, Pr Alcides Archangelo, de São Paulo, entre outros que lá começaram seu ministério e outros que por lá passaram. Uma pequena Igreja, típica interiorana, cheia da unção, onde os dons do Espírito sempre se manifestavam. Neste lugar o Senhor falou comigo uma centena de vezes, usando vasos em profecias, revelações, sonhos e visões. Tenho um batalhão de mulheres de oração que me adotaram na fé (visto que ninguém em minha casa aceitou a Jesus, com exceção de um primo), e que até hoje me sustentam em oração (não posso citar nomes, pois, com certeza, ficaria em falta com alguém). Que Deus as abençoe, juntamente com todas as mulheres dos círculos de oração do Brasil e do Exterior, por onde tenho pregado. Entre tantas manifestações, citarei a última, com a qual culminou em minha vocação. Era festa de inauguração de uma congregação em minha cidade e havia uma santa mulher, pregadora da palavra, ministrando. E lá estava eu, em pé, na porta, pois não havia como entrar. O ambiente estava tomado de pessoas. Então, a irmã Oriovalda, fazendeira em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, me chamou à frente e orou por mim. Após a oração me chamou novamente, desta vez em particular, e em poucas, porém certeiras palavras, disse-me o que o Senhor havia lhe revelado: - Você irá passar por algumas lutas e não vai resistir, vai desviar do caminho do Senhor. Após isto o Senhor lhe trará de volta a mão forte. Neste período Ele lhe dará de presente a sua companheira. Você se casará com ela. Do seu casamento Ele cuidará. Em seguida será levado ao ministério. Assim diz o Senhor. Quando aquela mulher terminou de profetizar aquelas palavras, eu, embasbacado, e sem acreditar, disse a ela: - A Senhora já terminou? E após a resposta afirmativa dela, saí e fui debochar de sua profecia junto com alguns amigos. - Ora, dizia eu, ela está louca! Disse que eu vou desviar. Eu? Desviar? Ela está delirando! Trinta dias, não mais do que isto, e lá estava eu, mais fraco do que galinha d'angola, completamente à mercê do diabo. Não me pergunte como isto aconteceu. Só sei que trinta dias após aquela revelação eu estava sem vontade alguma de ir à Igreja e fui a um clube de dança em minha cidade. Meu pastor, na época (omitirei o seu nome por uma questão de ética), me conhecia. Sabia quem eu era, e, apesar de ser uma bênção, eu também era muito difícil. Dava muito trabalho na Igreja, namorava todas as moças possíveis, e era muito petulante! A ponto de perguntar para o pastor, certa vez: - O Senhor manda os irmãos pregarem no domingo, porque não tem mensagem? Eu o fiz sofrer muito. E lembro-me de que, nesta época, quando ele descobriu que eu não ia mais à Igreja, me excluiu. Não me disciplinou. Ele excluiu e, ponto. Em pouco tempo meu nome estava estampado no jornal da cidade por causa das drogas. Desci ao profundo do abismo. E um belo dia, em uma boate, dançando, após uma discussão, dopado com bebidas e drogas, junto com meu amigo Pantera, fui buscar um revólver para resolver ura "problema" com um sujeito com que discutimos. Escondemos a arma em uma moita de capim e voltamos ao clube, já combinado que, após o baile, iríamos abater o sujeito. Eram 23:00, quando o Senhor visitou o irmão Ronaldo em sua casa naquele domingo e, quando estava orando, o Senhor o fez lembrar de um jovem rapaz que há muito não ia à Igreja e, em obediência à voz de Deus, ele e sua esposa, a irmã Adriana, saíram à procura do rapaz, e, ao passarem em um clube, o Senhor os avisou que o rapaz não estava lá, e fizeram outras tentativas até chegarem onde eu estava. Alguém foi lá dentro e me colocou para fora. Se não me esqueço foi o Ewerton, que o Ronaldo encontrara no caminho, e convidou-o a ir à minha busca. Quando saí, o Ronaldo disse-me: - O Senhor não garante a sua vida até o fim desta noite. Ninguém sabia da arma, apenas eu e o Pantera, e, é claro, o Senhor Jesus. Saí dali carregado e fui para a casa do Ronaldo, o qual, com um grupo de irmãos, orou para Jesus me libertar, o que aconteceu instantaneamente. A partir de então, fui renovado e estou firme até hoje na presença do Senhor. Foi com mão forte que Ele me tirou do mundo. Ao voltar para a Igreja, comecei a namorar uma linda moça de cabeços lisos compridos e de pele clara. A mais cobiçada pelos moços. Com ela me casei: a irmã Edileusa. O meu casamento foi pela fé, três anos de namoro e, com a ajuda de muitos irmãos e a bênção de Deus até a meia para combinar com o terno Ele mandou alguém me entregar. Estava, nesta época, concluindo a Faculdade de Teologia. Depois de o Senhor cuidar do meu casamento, tinha nesta época 19 anos de idade, fui consagrado ao diaconato da Igreja pelo pastor José Roberto. Pronto, a profecia de Deus, através da irmã Oriovalda cumpriu-se e não caiu um til sequer no chão. Deus ainda tem os seus profetas e os usa para edificar vidas na Igreja. Glórias sejam dadas ao Senhor!
Postar um comentário