Translate

terça-feira, 6 de junho de 2017

MUHAMMAD: O PROFETA DO ISLÃ - A PODRIDÃO DO ISLAMISMO – CENTRO APOLOGÉTICO CRISTÃO DE PESQUISAS - CACP

Muhammad nasceu em torno de 570 d.C. em uma cidade árabe chamada Meca. Seu pai Abdullah morreu antes que ele nascesse, e sua mãe Amina morreu quando ele tinha seis anos de idade. Após a morte de seu avô Abd al-Muttalib, Muhammad foi criado por seu tio Abu Talib, líder do clã Banu Hashim. Podemos dividir a vida de Muhammad em três períodos principais. Período pré-profético (570-610 d.C). Ainda jovem, Muhammad começou a trabalhar no comércio de caravanas de Meca, o que o colocou em contato com diversas tradições religiosas. Aos 25 anos de idade, ele se casou com uma viúva rica, Khadijah, que tinha 15 anos de idade mais velha que ele. Com mais tempo de lazer, Muhammad desenvolveu o hábito de se retirar para uma caverna no Monte Hira para oração e reflexão, como era comum para os politeístas da tribo Quraysh de Mecca. Período Profético de Meca (610-622). Durante um de seus retiros anuais, Maomé ficou convencido de que um espírito demoníaco havia ordenado que ele recitasse versos (agora encontrados no Alcorão 96: 1-5). No entanto, sua esposa Khadijah e seu primo Waraqah persuadiram-no de que ele era um profeta de Allah. Muhammad logo começou a pregar o Islã a amigos e familiares, e mais tarde ao público. Devido à sua condenação cada vez mais inflamatória das crenças religiosas dos politeístas de Meca, Muhammad e seus seguidores foram perseguidos. Depois que sua esposa Khadijah e seu tio Abu Talib morreram, Muhammad decidiu fugir de Meca. Período Profético de Medina (622-632). Tendo formado alianças com vários grupos não-muçulmanos, Muhammad começou a roubar as caravanas de Meca. Estes ataques levaram eventualmente a uma série de batalhas com Meca. Enquanto o saque de guerra se espalhava, os novos conversos também. O crescente exército muçulmano permitiu que Muhammad subjugasse não só Meca, mas também o resto da Arábia. Muhammad sofreu uma morte agonizante em 632 depois de ter sido envenenado por uma mulher judia cuja família tinha sido assassinada por muçulmanos. Os muçulmanos acreditam que Muhammad é seu maior exemplo moral (Alcorão 33:21) e a autoridade final (juntamente com Allah) em todas as decisões (Alcorão 33:36). De acordo com o Alcorão (4:65), uma pessoa não pode ter fé sem aceitar inquestionavelmente os juízos de Maomé.
Postar um comentário