Translate

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

MILHARES DE CRISTÃOS DA POLÔNIA SE JUNTAM PARA ORAR CONTRA ISLAMIZAÇÃO CAMPANHA LEVOU PESSOAS ATÉ AS FRONTEIRAS DO PAÍS PARA FAZER ORAÇÕES POR JARBAS ARAGÃO

No último sábado (07), milhares de cristãos poloneses se uniram para fazer orações, pedindo a Deus proteção do país da ameaça do islamismo. Segundo os organizadores, foi formada uma corrente simbólica ao longo dos 3.511 quilômetros da fronteira do país. A iniciativa foi promovida pela fundação católica Só Deus Basta. A data, 7 de outubro, foi escolhida por que celebra a vitória cristã na batalha de Lepanto, em 1571, contra os muçulmanos otomanos que tentavam invadir e dominar a Europa. De maioria católica, os poloneses seguravam terços em suas mãos. Antes de fazer a corrente nas fronteiras, os fiéis se reuniram em 200 igrejas, onde participaram primeiro de uma conferência. O porta-voz da Conferência Episcopal Polonesa, padre Pawel Rytel Andrianik, explica que o propósito era rezar pela paz no mundo. Parte da mídia europeia fez duras críticas ao movimento, acusando-os de islamofobia. Oração nas fronteirasOração nas fronteiras Os militantes cristãos, abertamente nacionalistas, admitiram que sua iniciativa era, sim, uma reação ao expansionismo islâmico na Europa. Marcin Dybowski, editor de livros religiosos e um dos líderes da Cruzada pela Pátria, declarou: “A Europa está sendo invadida pelo Islã, que não respeita os nossos costumes, a nossa civilização. Os atentados deixam centenas de vítimas. A Europa só finge que protege as suas fronteiras. Mas a verdade é que ela não tem fronteiras. A Polônia está em perigo”.Terminou dizendo que é necessário “proteger as nossas famílias, nossas casas, nosso país, de todo tipo de perigo, mas também da descristianização da nossa sociedade que os liberais da União Europeia querem nos impor. A Áustria e a Hungria levantam muros de arame farpado contra os refugiados. Nós edificamos uma barreira espiritual mediante a oração contra o perigo do terrorismo”. Com informações de LifeSite e BBC

Postar um comentário