Translate

sábado, 22 de julho de 2017

A ILUMINAÇÃO DO ESPÍRITO- PASTOR BILLY GRAHAM - O PODER DO ESPIRITO SANTO

Que os autores do Antigo e do Novo Testamento foram inspirados pelo Espírito Santo é uma parte da história, apenas. Além disto, Ele ilumina as mentes e abre os corações dos leitores. Achamos as mais diversas reações espirituais à Palavra de Deus. Jeremias disse: "Achadas as tuas palavras, logo as comi; as tuas palavras me foram gozo e alegria para o coração, pois pelo teu nome sou chamado, ó Senhor, Deus dos Exércitos" (Jer. 15:16). Isaías disse: "Seca-se a erva e cai a sua flor, mas a palavra do nosso Deus permanece eternamente" (Isa. 40:8). Jesus advertiu os saduceus de quase dois mil anos atrás de que havia muitos erros em seus ensinos porque não conheciam as Escrituras e o poder de Deus (Mat. 22:29). Isto relaciona as Escrituras com o poder do Espírito Santo, que opera transformações através da Bíblia. E João registra as palavras de Jesus: "A Escritura não pode falhar" (João 10:35). Jesus disse também: "Vós já estais limpos, pela palavra que vos tenho falado" (João 15:3). Constatamos que o Espírito Santo, através da Bíblia, não só nos transmite verdades doutrinarias ou históricas, Ele também a usa como meio de falar aos nossos corações. É por isso que insisto com as pessoas que estudem as Escrituras - entendam ou não completamente o que estão lendo. A leitura da Escritura em si possibilita a iluminação do Espírito e sua atuação em nós. Enquanto lemos a Palavra, sua mensagem enche os nossos corações, estando nós conscientes disto ou não. A Palavra, com todo o seu poder misterioso, toca em nossas vidas e nos dá do Seu poder. Podemos ver isto, por exemplo, na afirmação de Paulo: "Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparada para aqueles que o amam; mas Deus no-lo revelou pelo Espírito. .." (1 Cor. 2:9, 10). Observe que Paulo não diz que Deus nos revela estas coisas por Sua Palavra (apesar de ser o lugar de as acharmos), mas Ele o faz pelo Espírito, através da Sua Palavra. "Nós não temos recebido o espírito deste mundo, mas o Espírito mandado por Deus, que nos faz entender tudo o que Deus nos tem dado" (1 Cor. 2:12, BLH). O Rev. Gotttried Osei-Mensah, do Quênia, disse no Congresso de Evangelização de Lausanne em 1974: "Revelar verdades antes escoradas da busca e da compreensão humanas, iluminar as mentes das pessoas para que as conheçam e entendam (1 Cor. 2:9, 10) é obra do Espírito Santo." Se ensinar é função do Espírito, nossa obrigação é ser estudantes Sinceros da Palavra."5 Eu experimentei isto, estudando as Escrituras. Coisas que talvez eu já conhecesse intelectualmente há anos se tornaram vivas para mim em todo o seu significado espiritual quase milagrosamente. Enquanto estudava as Escrituras aprendi também que o Espírito deixa brilhar cada vez mais a luz da Palavra. Quase cada vez que eu leio uma passagem que me é familiar há muito tempo descubro alguma coisa nova. Isto acontece porque a Palavra escrita de Deus é Palavra viva. Eu sempre me aproximo das Escrituras com a oração do salmista: "Abre os meus olhos para que eu posa ver as verdades maravilhosas da tua lei" (Salmo 119:18, BLH).

OS EFEITOS ESPIRITUAIS DO TERREMOTO - A HISTÓRIA DO AVIVAMENTO AZUSA SEGUNDO FRANK BARTLEMAN

Verifiquei que o terremoto havia aberto muitos corações. Eu distribuía especialmente meu último folheto, "A Última Chamada". Parecia muito apropriado depois do terremoto. Domingo , dia 22 de abril, levei 10.000 destes à Igreja do Novo Testamento. Os obreiros os aceitaram alegremente e logo os distribuíram por toda a cidade. Quase todos os pregadores do país estavam trabalhando a valer para provar que Deus nada tinha a ver com o terremoto e desta forma aliviar o medo do povo. O Espírito procurava tocar os corações com convicção através deste julgamento. Sentia-me indignado que os pregadores fossem usados por Satanás para abafar a voz do Senhor. Da mesma forma eles foram usados depois, durante a guerra. Até as professoras nos colégios trabalhavam com afinco para convencer as crianças que o terremoto não era obra de Deus. O diabo fez muita publicidade nesta área. Depois do terremoto passei muito tempo em oração e dormi pouco. O Senhor me mostrou definitivamente que Ele tinha uma mensagem para o povo. No Sábado seguinte deu-me parte dela. Na segunda-feira, deu-me o resto. Quando acabei de escrever era meia-noite e meia. Já estava pronta para ser levada ao impressor. Ajoelhei-me diante do senhor e senti Sua presença de uma forma muito forte como grande prova de que a mensagem era mesmo Sua. Devia mandar imprimi-la na manhã seguinte. Daquela hora até às quatro da manhã, fui maravilhosamente absorvido pela intercessão. Sentia a ira de Deus contra o povo e lutei muito contra ela em oração. Ele me mostrou que estava muito triste com a obstinação do povo mesmo em face do seu juízo sobre o pecado. São Francisco era uma cidade terrivelmente pervertida. Mostrou-me o Senhor que todo o inferno operava para, se possível, abafar Sua voz através do terremoto. A mensagem que Ele me deu era para contra atacar esta influência. Os homens negavam Sua presença no terremoto, mas agora Ele iria falar. Era uma mensagem terrível a que Ele me dera. Eu não deveria discutir sobre ela com ninguém, simplesmente entregá-la. Eles teriam de prestar contas ao Senhor. Senti todo o inferno contra mim nesta situação, o que depois ficou comprovado. Fui dormir às quatro horas, levantei-me às sete e corri com a mensagem para o impressor. A pergunta que havia em quase todos os corações era: "Foi Deus que fez isso?" Instintivamente sabiam que era assim. Até os ímpios estavam conscientes deste fato. O folheto foi logo composto, no mesmo dia já estava sendo impresso e na próxima tarde eu já tinha os primeiros exemplares. Senti que deveria levá- los logo ao povo o mais depressa possível. Lembrei-me que os dez dias que o Senhor me chamara para orar terminavam no dia em que recebi os primeiros exemplares desta folheto. Compreendia tudo agora claramente. Distribuí a mensagem rapidamente nas missões, igrejas, bares, empresas e na realidade em todos os lugares, tanto em Los Angeles, como em Pasadena. Além disso enviei pelo correio alguns milhares a obreiros nas cidades vizinhas para serem distribuídos. Todo o processo foi uma obra de fé. Comecei sem nenhum dólar. Mas o Senhor me supriu com os recursos necessários. Trabalhei muito todos os dias. O irmão e irmã Otterman os distribuíram em São Diego. Era preciso muita coragem. Muitos clamavam contra a mensagem. Por causa deste folheto passei toda espécie de experiência em Los Angeles. Todo o inferno se acometia contra mim. Deus enviou o irmão Boehmer de Pasadena para me ajudar. Ele ficava do lado de fora dos bares, orando enquanto eu entregava e os distribuía. Em alguns lugares ficavam tão furiosos que queriam me matar. As empresas estavam todas paradas depois do que ocorrera em São Francisco. O povo estava paralisado de medo. Este fator foi responsável por parte da influência que o folheto surtiu. A pressão contra mim foi tremenda. Todo o inferno se levantava para impedir que a mensagem fosse distribuída. Mas nunca vacilei. Senti sempre sobre mim a mão de Deus. O povo ficava abismado quando soube o que Deus tinha para falar a respeito de terremotos. O Senhor mandou-me a diversas reuniões com uma exortação solene para que todos se arrependessem e o buscassem. Na Missão Azusa tivemos um tempo de grande poder. Os irmão se humilhavam. Uma irmão de cor falava e orava em línguas. A atmosfera própria do céu estava ali. Domingo, dia 11 de maio, eu havia terminado a distribuição do meu folheto "O Terremoto". O peso que sentira desapareceu repentinamente. Meu trabalho estava concluído. Setenta e cinco mil folhetos haviam sido publicados e distribuídos em Los Angeles e no sul da Califórnia em menos de três semanas. Em Oakland, o irmão Manley, por sua própria vontade, havia impresso e distribuído mais cinqüenta mil nas cidades em volta da Baía de São Francisco e arredores no mesmo espaço de tempo. O terremoto de São Francisco fora verdadeiramente a voz de Deus para seu povo na costa do Pacífico. Foi usado de forma poderosa para convencer os incrédulos e preparar para a graciosa visitação que viria depois. Nos primeiros dias da Missão Azusa, tanto o céu como o inferno pareciam ter chegado à cidade. Os homens estavam a ponto de estourar e havia uma poderosa convicção sobre o povo em geral. As pessoas pareciam cair aos pedaços mesmo na rua sem nenhuma provocação. Havia como que uma cerca em volta da Missão Azusa feita pelo Espírito. Quando o povo a atravessava, a dois ou três quarteirões de distância, era tomado pela convicção dos seus pecados.

LIÇÃO 45 ADIVINHE QUEM VEM PARA JANTAR ESTUDANDO O ANTIGO TESTAMENTO CENTRO DE FORMAÇÃO APOSTÓLICA

O Livro de Neemias apresenta sete princípios práticos de liderança para fazer a obra de Deus. Neemias mostrou muita força, comprometimento, entendimento, atenção, coragem, perseverança e dedicação total para fazer a obra de Deus do jeito de Deus. Esses princípios da vida de Neemias mostram como é estar disponível para ser usado por Deus, porque o Plano de Deus é usar o Poder de Deus no Povo de Deus para cumprir os Propósitos de Deus, de acordo com Plano de Deus.

 

sexta-feira, 21 de julho de 2017

GABINETE DE BOLSONARO TEM MURAL QUE DEFENDE A DITADURA E CRITICA LGBTS E PETISTAS GABINETE DO DEPUTADO BOLSONARO RECEBE CURIOSOS E APOIADORES QUE TIRAM FOTOS DE SEU MURAL

As ideias e os pensamentos polêmicos de Jair Bolsonaro (PSC-RJ) não estão apenas nos seus discursos, entrevistas e provocações. Seu incômodo com as políticas LGBT, sua oposição à esquerda, em especial ao PT, a defesa que faz ditadura e sua louvação à direita estão estampadas na fachada de seu gabinete, que, desde que se tornou um potencial candidato à presidente, recebe uma romaria de curiosos e admiradores de todo o país. Os visitantes param em frente ao gabinete, que tem uma fachada de vidro e está coberto dessas mensagens, e fazem selfies e tentam falar com o deputado. O mosaico foi batizado por Bolsonaro como o “mural da vergonha”. Ali, há uma foto enorme de Fernando Haddad, ainda de sua época de ministro da Educação, cargo que ocupou durante sete anos entre os governos Lula e Dilma. Abaixo da foto do petista, a inscrição “candidato do kit gay”. Essa pecha dada a ele pelo deputado é em razão da polêmica criada em torno do material didático produzido pelo MEC com conteúdo trazendo referências a direitos de gays, lésbicas, transsexuais. “As crianças de 6 anos terão aula de homoafetividade nas escolas?”, pergunta o cartaz do deputado. Bolsonaro lista 180 itens de apoio ao LGBT e inclui projetos como legalização de adoção de crianças por casais homossexuais e a criação da bolsa de estudo que incentive a qualificação profissional de travestis e transsexuais. Na fachada, há várias fotos de Lula e Dilma, com associações diversas. A famosa foto de Lula ao lado de Paulo Maluf quando o antigo político do PDS deu apoio a Haddad, na disputa da prefeitura de São Paulo, está lá. Com os dizeres: “Maluf ainda tem muito o que aprender com Lula e o PT”. Dilma aparece associada à esquerda armada. Ao lado de uma foto antiga da ex-presidente, Bolsonaro a associou ao CV, que chamou de Comando Verdade, num tom vermelho. Também está exibido ali um desenho de Dilma, com nariz de Pinóquio e onde está pendurado um cartaz com o nome da Comissão Nacional da Verdade, que investigou as arbitrariedades da ditadura e, em seu relatório final, apontou dezenas de militares responsáveis por tortura, morte e desaparecimento ocorridos naquele período. O gabinete do filho Eduardo Bolsonaro é colado ao seu, ambos no anexo 3 da Câmara. Ele estampou uma enorme bandeira do Brasil, com um fundo azul na frente e, em cima e bem destacado, o nome Bolsonaro. Do outro lado, o presidenciável tem como vizinho o deputado petista Wadih Damou (RJ), que presidiu a Comissão da Verdade do Rio. No dia em que a reportagem visitou o gabinete, o sindicalista Expedito Caetano, da Bahia, esteve ali e fez fotos em frente a fachada. Admirador de Bolsonaro, ele disse concordar com as ideias expostas ali. “Por isso vou não só votar nele como fazer campanha”, disse Expedito, que é presidente de uma cooperativa de transporte interestadual no interior baiano e quer agendar uma ida do deputado num ato na região.

NOTA OFICIAL DO PSDC - PARTIDO SOCIAL DEMOCRATICO CRISTÃO

A Comissão Executiva do Diretório Nacional do PSDC, Partido Social Democrata Cristão, face às noticias publicadas pela imprensa nacional, de que o Deputado Federal Jair Bolsonaro, tem manifestado interesse em manter entendimentos com o PSDC, visando ser candidato à Presidência da República em 2018, pela legenda, vem através desta Nota Oficial informar que: 1- Não existem esses entendimentos e não há interesse da Democracia Cristã em relação a eles. 2- A Democracia Cristã terá candidato próprio a Presidente da República nas Eleições Gerais de 2018. 3- O nome do Pré – Candidato do Partido a Presidente da República, entre os seus atuais filiados, será indicado no 7º Congresso Nacional a ser realizado em 5 de Agosto de 2017, em Curitiba - PR. BRASÍLIA, 18 DE JULHO DE 2017 COMISSÃO EXECUTIVA DO DIRETÓRIO NACIONAL

MAIS UM PARTIDO ENTRA EM CAMPO PARA TENTAR LEVAR BOLSONARO DEPOIS DE PSDC, PR E PRB...

Candidato a presidente Jair Bolsonaro, hoje no PSC do Rio, está flertando com o nanico PEN. Ele marcou uma conversa com o comando do partido para a semana que vem. Trata-se de mais uma legenda a entrar na briga para levar Bolsonaro, que já recebeu sondagens de PSDC, PR e PRB. O Partido Social Democrata Cristão (PSDC) é um partido político brasileiro. Foi fundado em 5 de agosto de 1997 pelo político e empresário José Maria Eymael. Segue a tendência democrata cristã. O seu código eleitoral é o 27. No final da Segunda Guerra Mundial, Konrad Adenauer (na Alemanha) e Alcide de Gasperi (na Itália), formularam uma nova doutrina política, com o objetivo central de construir uma sociedade livre, justa e solidária. Chamaram de Democracia Cristã este novo pensamento político, ou seja, uma doutrina política democrática e fundamentada nos valores humanísticos do cristianismo: Liberdade, Justiça e Solidariedade. No ano de 1945, inspirado nos ideais de Adenauer e De Gasperi, o professor de Direito da USP, Cesarino Júnior, juntamente com outros companheiros, entre eles Tristão de Ataíde (pseudônimo de Alceu Amoroso Lima), fundaram na Cidade de São Paulo, no Teatro Municipal, no dia 9 de julho, o Partido Democrata Cristão (PDC). Partido da República (PR) é um partido político brasileiro fundado em 26 de outubro de 2006, homologado no Tribunal Superior Eleitoral no dia 21 de dezembro de 2006. Seu último presidente nacional foi Alfredo Nascimento, que renunciou em 17 de abril de 2016, após votar pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. A nova sigla uniu dois partidos: o Partido Liberal (PL) e o Partido da Reedificação da Ordem Nacional (PRONA), que se fundiriam para atingirem a cláusula de barreira (derrubada pelo Supremo Tribunal Federal, no final de 2006) e poderem gozar de todos os direitos que estariam reservados aos partidos que atingirem porcentagem de votos superior a 5% dos votos, até então exigida. O PRB é um partido político brasileiro criado em 2003 e dois anos depois, em 25 de agosto de 2005 obteve o registro definitivo do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o nome de Partido Municipalista Renovador (PMR). Em 2006, por sugestão do ex-vice-presidente da República, José Alencar Gomes da Silva, o partido mudou o nome para Partido Republicano Brasileiro. Seu código eleitoral é 10. Eleito em 9 de maio de 2011 e reeleito em 7 de maio de 2014, o presidente nacional, Marcos Pereira, pede licença do cargo em 13 de maio de 2016 para exercer o cargo de ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Atualmente, o PRB é presidido interinamente pelo senador Eduardo Lopes (PRB-RJ). Partido fundado por partidários do falecido vice-presidente da República José Alencar Gomes da Silva, então presidente honorário do Partido Liberal. Em 2016, com a crise política no Brasil, o PRB deixa a base aliada do governo e passa a se tornar um partido independente. No processo de Impeachment da presidente Dilma Rousseff, os 21 deputados federais votaram pelo afastamento da presidente por reconhecer que ficou caracterizado crime de responsabilidade com as pedaladas fiscais e a abertura de crédito suplementar sem autorização do Congresso Nacional. Partido Ecológico Nacional (PEN) é um partido político brasileiro. Obteve seu registro definitivo no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 19 de junho de 2012. Seu código eleitoral é o 51. O PEN apoiou o candidato Aécio Neves (PSDB) à presidência da república, compondo a coligação Muda Brasil com as siglas PMN, SD, DEM, PTN, PTB, PTC e PTdoB. A candidatura ficou em segundo lugar no primeiro turno, obtendo 34.897.211 votos (33,55%). No segundo turno, numa disputa acirrada, Aécio obteve 51.041.155 votos (48,36%), perdendo para Dilma Rousseff do PT e da coligação Com a Força do Povo.

URGENTE QUEM PERDEU AS PRIMEIRAS MINISTRAÇÕES DO JEJUM DA LIBERTAÇÃO PODE ACESSAR ATRAVÉS DOS LINKS ABAIXO

A palavra LIBERTAÇÃO vem do grego “sotero“ e significa “livramento, salvação”. Em João 10:10, a palavra do Senhor diz que: “ O ladrão (diabo) veio para matar, roubar e destruir”, mas Jesus, o Rei dos Reis, o Senhor dos Senhores, o Alfa, o Omega, o Todo Poderoso, o Majestoso, o Cordeiro de Deus, o Príncipe da Paz, veio para SALVAR, LIBERTAR e RESTAURAR.

PRIMEIRO DIA DO JEJUM DA LIBERTAÇÃO 
 PASTOR SERGIO LOURENÇO DO MINISTÉRIO EM DEFESA DA FÉ APOSTÓLICA E MEMBRO DO CONSELHO DE PASTORES DO ESTADO DE SÃO PAULO
  
SEGUNDO DIA DO JEJUM DA LIBERTAÇÃO 
 PASTOR SERGIO LOURENÇO DO MINISTÉRIO EM DEFESA DA FÉ APOSTÓLICA E MEMBRO DO CONSELHO DE PASTORES DO ESTADO DE SÃO PAULO

TERCEIRO DIA DO JEJUM DA LIBERTAÇÃO 
PASTOR SERGIO LOURENÇO DO MINISTÉRIO EM DEFESA DA FÉ APOSTÓLICA E MEMBRO DO CONSELHO DE PASTORES DO ESTADO DE SÃO PAULO

QUARTO DIA DO JEJUM DA LIBERTAÇÃO 
 PASTOR SERGIO LOURENÇO DO MINISTÉRIO EM DEFESA DA FÉ APOSTÓLICA E MEMBRO DO CONSELHO DE PASTORES DO ESTADO DE SÃO PAULO

QUINTO DIA DO JEJUM DA LIBERTAÇÃO 
PASTOR SERGIO LOURENÇO DO MINISTÉRIO EM DEFESA DA FÉ APOSTÓLICA E MEMBRO DO CONSELHO DE PASTORES DO ESTADO DE SÃO PAULO

SEXTO DIA DO JEJUM DA LIBERTAÇÃO  
PASTOR SERGIO LOURENÇO DO MINISTÉRIO EM DEFESA DA FÉ APOSTÓLICA E MEMBRO DO CONSELHO DE PASTORES DO ESTADO DE SÃO PAULO
https://pastorsergiolourenco.blogspot.com.br/2017/07/sexto-dia-do-jejum-da-libertacao-pastor.html


SÉTIMO DIA DO JEJUM DA LIBERTAÇÃO 
PASTOR SERGIO LOURENÇO DO MINISTÉRIO EM DEFESA DA FÉ APOSTÓLICA E MEMBRO DO CONSELHO DE PASTORES DO ESTADO DE SÃO PAULO
https://pastorsergiolourenco.blogspot.com.br/2017/07/setimo-dia-do-jejum-da-libertacao_19.html


OITAVO DIA DO JEJUM DA LIBERTAÇÃO 
PASTOR SERGIO LOURENÇO DO MINISTÉRIO EM DEFESA DA FÉ APOSTÓLICA E MEMBRO DO CONSELHO DE PASTORES DO ESTADO DE SÃO PAULO

OITAVO DIA DO JEJUM DA LIBERTAÇÃO - PASTOR SERGIO LOURENÇO DO MINISTÉRIO EM DEFESA DA FÉ APOSTÓLICA E MEMBRO DO CONSELHO DE PASTORES DO ESTADO DE SÃO PAULO

A paz do Senhor a todos,  hoje vamos para nosso oitavo  dia da campanha, é bom relembrar que caso você não siga os três passos básicos da libertação, você não alcançara o objetivo desejado. Você deve ter muito claro em sua mente quem cuida de você e o Senhor Jesus Cristo filho do Deus Altíssimo, e nada acontece em sua vida sem a permissão Dele. Vejamos o que diz a Bíblia em Segunda Reis capitulo 19 versículos 32 à 34:

Portanto, assim diz o Senhor acerca do rei da Assíria: ‘Ele não invadirá esta cidade nem disparará contra ela uma só flecha. Não a enfrentará com escudo nem construirá rampas de cerco contra ela. Pelo caminho por onde veio voltará; não invadirá esta cidade’, declara o Senhor. ‘Eu a defenderei e a salvarei, por amor de mim mesmo e do meu servo Davi’ ".


Neste oitavo dia vemos a importância de termos em mente que é Deus que te protege, cuida, zela por você, e caso você não tenha essa à proximidade, intimidade de pai e filho entre você e Deus, se torna inviável a sua libertação das garras do inimigo opressor que é satanás! Por isso você precisa se achegar cada dia mais a Deus, orando, louvando e jejuando. Pois só assim é possível ser liberto. Que neste oitavo dia de jejum Deus abra sua mente de forma extraordinária para que você possa ter vitória neste processo de libertação.    

SE MORRER PECANDO AINDA ESTÁ GARANTIDO NA SALVAÇÃO? "PORTANTO, IRMÃOS, PROCURAI FAZER CADA VEZ MAIS FIRME A VOSSA VOCAÇÃO E ELEIÇÃO; PORQUE, FAZENDO ISTO, NUNCA JAMAIS TROPEÇAREIS" (2 PEDRO 1.10). POR TIAGO ROSAS

A turma do “Uma vez salvo salvo para sempre” andou por aí dizendo que se morrermos pecando, isso não privará o eleito da salvação. Segundo os tais paladinos da hermenêutica calvinista brasileira, a salvação que é da graça não poderá ser anulada pelo pecado, e a morte no pecado não cancelará esta dádiva da graça. Tenho duas perguntas a fazer aos tais expoentes e ao seus jovens seguidores, que facilmente se deixam arrebatar por suas elucubrações, ao invés de imitarem aqueles antigos crentes bereanos: 1. Se um homem crente morrer em cima de uma cama, durante um ato sexual com uma mulher prostituta, este homem vai para o céu? Se Jesus Cristo voltar na mesma hora – ele pode voltar a qualquer instante! – em que este homem estiver traindo a sua esposa, ele receberá o corpo glorificado e subirá ao encontro de Cristo mesmo assim? Esta é só uma situação hipotética, mas muito provável – muito factível, na verdade! – dentre muitas outras situações que poderia propor aqui.2. Já que essa turma se acha tão boa de exegese bíblica, como, diante de suas declarações públicas, eles explicariam esse texto de Lucas, com palavras do próprio Senhor Jesus Cristo: “Estejam cingidos os vossos lombos, e acesas as vossas candeias. E sede vós semelhantes aos homens que esperam o seu senhor, quando houver de voltar das bodas, para que, quando vier, e bater, logo possam abrir-lhe. Bem-aventurados aqueles servos, os quais, quando o Senhor vier, achar vigiando! Em verdade vos digo que se cingirá, e os fará assentar à mesa e, chegando-se, os servirá. E, se vier na segunda vigília, e se vier na terceira vigília, e os achar assim, bem-aventurados são os tais servos. Sabei, porém, isto: que, se o pai de família soubesse a que hora havia de vir o ladrão, vigiaria, e não deixaria minar a sua casa. Portanto, estai vós também apercebidos; porque virá o Filho do homem à hora que não imaginais. E disse-lhe Pedro: Senhor, dizes essa parábola a nós, ou também a todos? E disse o Senhor: Qual é, pois, o mordomo fiel e prudente, a quem o senhor pôs sobre os seus servos, para lhes dar a tempo a ração? Bem-aventurado aquele servo a quem o seu senhor, quando vier, achar fazendo assim. Em verdade vos digo que sobre todos os seus bens o porá. Mas, se aquele servo disser em seu coração: O meu senhor tarda em vir; e começar a espancar os criados e criadas, e a comer, e a beber, e a embriagar-se, Virá o senhor daquele servo no dia em que o não espera, e numa hora que ele não sabe, e SEPARA-LO-Á, E LHE DARÁ A SUA PARTE COM OS INFIÉIS. E o servo que soube a vontade do seu senhor, e não se aprontou, nem fez conforme a sua vontade, será castigado com muitos açoites; Mas o que a não soube, e fez coisas dignas de açoites, com poucos açoites será castigado. E, a qualquer que muito for dado, muito se lhe pedirá, e ao que muito se lhe confiou, muito mais se lhe pedirá” (Lucas 12.35-48) Depois que levantamos a acusação histórica de que esta teologia predestinacionista (incondicional) abre as portas para a libertinagem, ficam achando ruim. Mas de que outra forma poderíamos classificar aquela falsa teologia de que “uma vez salvo, salvo para sempre”, mesmo que você morra pecando? Se Davi tivesse essa convicção, ele não precisaria ter orado em lágrimas e gemidos a Deus, após os pecados de adultério e homicídio, dizendo “Não me lances fora da tua presença, e não retires de mim o teu Espírito Santo” (Sl 51.11). De que servem então as muitas advertências bíblicas sobre vigilância e prudência constante? De que adiantou Pedro ter dito: “Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar” (1 Pe 5.8)?! Afinal, o diabo pode ou não pode tragar um servo de Deus que não guardar vigilância e sobriedade? Não são arminianos ou luteranos ou católicos que dizem… É a Bíblia que diz: “SEM SANTIFICAÇÃO NINGUÉM (NINGUÉM MESMO!) VERÁ O SENHOR” (Hb 12.14). Nem eleito, nem não eleito, nem padre, papa, pastor, reverendo, teólogo, homem ou anjo… Sem santificação NINGUÉM VERÁ A DEUS! Quem subirá o monte santo do Senhor, caros escribas calvinistas? Quem habitará no monte santo de Deus? Como os salmistas responderam a essas perguntas lá atrás? Ah, mas o eleito já tá garantido! E é? Então rasgue isso da sua Bíblia também: “Portanto, irmãos, procurai fazer cada vez mais firme a vossa vocação e eleição; porque, fazendo isto, nunca jamais tropeçareis” (2 Pedro 1.10). Senhor, é hora de levantares os teus profetas outra vez, porque os sacerdotes e escribas se têm corrompido!

O FUTURO QUE DEUS TEM PREPARADO PARA ISRAEL “TODAS AS COISAS SÃO MORTAIS, MENOS OS JUDEUS; TODAS AS OUTRAS FORÇAS SE VÃO, ELES FICAM. QUAL É O MISTÉRIO DE SUA IMORTALIDADE?” MARK TWAIN POR ALEXANDRE DUTRA

O futuro de qualquer pessoa, povo ou nação é incerto e imprevisível. Menos o da nação de Israel e do povo judeu em geral, pelo fato de que o Deus do universo e Senhor da história tem revelado em sua bendita palavra as coisas acerca do futuro dessa nação. A Bíblia Sagrada é o único livro “religioso” que fala sobre o futuro. Nenhum outro livro aborda a questão do que está por vir de forma tão completa. O Corão? Não. Os escritos de Buda? Também não. O próprio Deus instiga seu povo a desvendar o póstero: “Perguntai-me as coisas futuras; demandai-me acerca de meus filhos, e acerca da obra das minhas mãos (Is. 45:11b). O futuro de Israel está ligado a profecia do Senhor Jesus em Mateus 24, envolvendo sofrimento e glória, juízo e redenção, além de estar centralizada na cidade de Jerusalém e no povo judeu (Dn.9:24). O cumprimento dessa profecia teve início no ano 70 d.C. com a invasão romana liderada pelo general Tito contra a Judéia. A cidade de Jerusalém foi invadida e destruída, o Templo saqueado e queimado e grande parte do povo judeu foi dispersado pelas nações. A partir dessa data todos os acontecimentos envolvendo o povo de Israel diz respeito ao cumprimento de profecias que foram preditas sobre seu futuro. Ao longo da história do povo judeu na diáspora, inclusive a criação do Estado de Israel, em 14 de maio de 1948, o que aconteceu, e tudo mais que venha a acontecer com Israel, pode ser relacionado com as profecias bíblicas. No limiar da história futura dos filhos de Jacó o capítulo 11 de Romanos aponta para o fim do endurecimento de Israel (Rm.11:25), o apóstolo Paulo fala que mesmo na “queda” de Israel o mundo foi enriquecido através da reconciliação dos gentios com Deus, apontando para sua “plenitude”, que resultará para Israel “vida dentre os mortos” (Rm.11:12,15); e por fim um futuro salvífico de todo o remanescente de Israel (Is.10:21; Rm.11:26).O contexto será a grande tribulação, onde Israel estará cercada em Jerusalém pelos exércitos do anti-Cristo e se lembrarão do salmista que diz: “Elevo os meus olhos para os montes, de onde vem o meu socorro; o meu socorro vem do SENHOR que fez o céu e a terra” (Sl.121:1-2); então clamarão: “Bendito o que vem em nome do Senhor” (Mt.23:39b). O Senhor Jesus nesse momento voltará para Israel conforme a promessa angelical (At.1:9-12), pisará no Monte das Oliveiras que se partirá ao meio e os judeus contemplarão a Jesus “a quem traspassaram; e prantearão sobre ele, como quem se pranteia pelo filho unigênito; e chorarão amargamente por ele, como se chora amargamente pelo primogênito” (Zc.14.4; 12:10; Ap.1:7). O futuro de Israel diz respeito ao estabelecimento da nova aliança, baseada na eleição dos patriarcas e na purificação dos pecados da nação (Rm.11:27; Jr.31). A garantia de um futuro glorioso de Israel está baseado nos dons e vocação sem arrependimentos da parte de Deus (Rm.11:29).

A IGREJA E O SUICÍDIO HÁ IRMÃOS QUE ACHAM QUE É FRESCURA, COISA DO DIABO, OU ATÉ MALDIÇÕES HEREDITÁRIAS. OUTROS NÃO PERDEM A OPORTUNIDADE DE JÁ MANDAREM OS SUICIDAS PARA O INFERNO, EXTERNANDO ISSO PARA FAMILIARES AINDA ENLUTADOS. POR LEANDRO BUENO

Depois dos recentes suicídios de artistas de renome como os cantores Scott Weiland (da banda Stone Temple Pilot) e Chris Cornell (das bandas Soundgarden e Audioslave) e ontem do famoso vocalista do Linkin Park, Chester Bennington, fiquei refletindo que esse é um mal que não tem acometido apenas astros ou drogados, mas, sim, feito vítimas no próprio seio da igreja, ainda que de forma velada. O suicídio ele traz perplexidade para a maioria das pessoas, pois vivemos em um mundo, principalmente no Ocidente, onde a morte é vista como um tabu. Tanto que quando jornais noticiam que alguém se suicidou, o termo quase nunca é usado na manchete. Ali é dito apenas que “foi encontrado morto(a)”. Nas igrejas, ainda há muitas pessoas que não são capazes de reconhecer que a depressão é uma doença, um distúrbio mental caracterizado pela perda de interesses em atividades, prejudicando significativamente o dia-a-dia das pessoas, demandando tratamento psiquiátrico e psicológico quase sempre e de perto.Há irmãos que acham que é frescura, coisa do diabo, ou até maldições hereditárias. Outros não perdem a oportunidade de já mandarem os suicidas para o inferno, externando isso para familiares ainda enlutados. Parece que a insensibilidade com a dor do outro chega ao ponto de não serem capazes de ver que somos apenas humanos, e, assim sendo, frágeis, e passíveis de estarmos enfermos. Fora a questão orgânica a trazer propensão para estados melancólicos e/ou depressivos, o cristão, a meu ver, deve estar atento à própria ideologia que domina o mundo atual, criando um modelo de mundo sem Deus, sem valores e parâmetros e extremamente competitivo, o que acaba gerando frequentes buracos existenciais nas pessoas. Algo, a meu ver, que tem contribuído muito para isso, é a exposição contínua e massacrante de informações e redes sociais. Parece que as pessoas têm deixado de se alegrar no contato olho no olho, no andar mais lento da vida. Ontem, mesmo eu estava fazendo algo que me dava extremo prazer no passado, e hoje, sem entender exatamente o porquê, não faço mais. E ao realizar a atividade veio uma alegria e uma emoção diferente que não tenho sentido frequentemente. Outro aspecto é que a depressão muitas vezes tem como componente a dor, de termos sido rejeitados ou não recebido o valor que achávamos que tínhamos de alguém que prezávamos ou até das instituições. Quantos hoje não estão adoecidos na alma por acharem que não foram tratados pela Igreja como deveriam ter sido ? É a famosa JUSTIÇA PRÓPRIA que carregamos dentro de nós e quando esta não é atendida abre-se um campo imenso para ressentimentos, mágoas e frustrações, sentimentos quase sempre presentes nos quadros depressivos. A Bíblia é repleta de histórias que evidenciam isso. Isso acaba nos deformando, pois esquecemos que somos imagem e semelhança de Deus Que estejamos nos cuidando e lembrando das palavras eternas de Jesus: Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo (Jo 16:33). Que tenhamos força e perseverança na nossa peregrinação por esse mundo, sabendo reconhecer a beleza da vida, ainda que no meio das atribulações.

ESTATUTO DO NASCITURO E A PERSPECTIVA CRISTÃ ABRE A TUA BOCA EM FAVOR DOS QUE NÃO PODEM SE DEFENDER; SÊ O PROTETOR DOS DIREITOS DE TODOS OS DESAMPARADOS! PV 31:8 POR HÉLIO ROBERTO

Esse artigo tem por objetivo esclarecer alguns pontos atinentes ao Projeto de Lei que visa instituir o Estatuto do Nascituro, bem como tecer algumas reflexões quanto à posição daquele que é salvo em Cristo Jesus ante a esta matéria. De início, é importante ressaltar que o ansiado Estatuto do Nascituro ainda não foi aprovado pelo Congresso Nacional. Esta propositura legislativa tramita, atualmente, na Câmara dos Deputados sob o seguinte número: Projeto de Lei – PL nº 8.116/2014. O PL 8.116/2014, na verdade, trata-se de um substitutivo ao PL 478/2007, o qual, ao propor a instituição do Estatuto do Nascituro, foi aprovado pela Comissão de Seguridade Social e Família – CSSF, da Câmara dos Deputados, em 19/05/2010. Entretanto, como o Deputado que propôs este PL (478/2007) não se reelegeu, o PL acabou por não ser encampado por nenhum outro parlamentar naquela legislatura.Desta feita, foi apresentado pelo Deputado Alberto Filho o PL 8.116/2014, que trazia à baila e inseria novamente no processo legislativo a questão do Estatuto do Nascituro. É necessário, inicialmente, conceituar-se o que seria nascituro. Segundo o próprio PL 8.116/2014 (doravante PL), nascituro é o ser humano concebido, mas ainda não nascido (art. 2º). O art. 3º, §1º desse PL prevê que “Desde a concepção são reconhecidos todos os direitos do nascituro, em especial o direito à vida, à saúde, ao desenvolvimento e à integridade física e os demais direitos da personalidade”. Esse dispositivo é paradigmático, dado que garante o Direito à vida ao nascituro, bem como à sua integridade física. Isso significa a proibição, como regra, da violação dos direitos do nascituro através de eventuais políticas públicas posteriores. Ainda na análise desse PL, o art. 4º preconiza: “É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar ao nascituro, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, ao desenvolvimento, à alimentação, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à família, além de colocá-lo a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão.” Veja, esse dispositivo proíbe toda e qualquer violência, crueldade e opressão contra o nascituro. O PL aduz, ainda, que é expressamente vedado causar qualquer dano ao nascituro em virtude de atos praticados por seus genitores, ou seja, por que o bebê teria que pagar com a própria vida pela ação, ainda que desprezível e reprovável, de um dos seus genitores? Ora, penalizar o bebê pelo ato de um dos seus genitores contraria, inclusive, o princípio do caráter personalíssimo da pena, ou seja, um ser humano não pode pagar a pena pelo ato delituoso cometido por outra pessoa. Nesse sentido, não faz sentido, além de ser ilegal, punir com a morte o bebê em função de uma ação de quaisquer de seus genitores. Outrossim, o PL reza, em seu art. 13, o seguinte: “O nascituro concebido em decorrência de estupro terá assegurado os seguintes direitos, ressalvados o disposto no Art. 128 do Código Penal Brasileiro: I – direito à assistência pré-natal, com acompanhamento psicológico da mãe; II – direito de ser encaminhado à adoção, caso a mãe assim o deseje.” Veja como esse PL é revolucionário e de grande valor. Garantem-se ao nascituro os direitos de assistência pré-natal e o direito de encaminhamento à adoção, de modo que as mães não sejam impelidas a assassinar seus próprios filhos pelo fato de a gravidez ser indesejada. Além disso, o PL prevê que, identificado o progenitor no caso de estupro, estaria este obrigado a pagar pensão alimentícia, sem que haja direito de paternidade. Assim, passa-se a responsabilizar aquele que é o autor do ato delituoso (estupro), mas sem punir quem não deu causa àquele ato ilícito (o bebê). Todavia, não pense que o Estatuto do Nascituro não é atacado pelos movimentos feministas e de esquerda. O PL estava pronto para passar pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania– CCJC da Câmara dos Deputados; entretanto, por meio de uma manobra ardilosa, no dia 28/06/2017, ele foi encaminhado para a Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher – CMULHER, cujo objetivo é nada mais nada menos que engavetar ou alterar de forma fatal o teor do Estatuto do Nascituro. Fazem parte desta comissão deputadas controversas como a Dep. Maria do Rosário e a Dep. Érica kokay, ambas ferrenhas defensoras da descriminalização do aborto. É necessário que o PL tenha sua tramitação continuada, de modo que não seja engavetado nesta comissão. Nesse sentido, avançamos para o estanque dessa cultura de morte gerada pelo aborto no Brasil. Mas por que escrever este artigo? A resposta é simples e objetiva: precisamos começar a nos posicionar, de forma legítima, na esfera pública em defesa dos princípios que regem nossas vidas. A Palavra do Senhor diz: “Abre a tua boca em favor dos que não podem se defender; sê o protetor dos direitos de todos os desamparados!” Pv 31:8 É inadmissível que tenhamos uma vida dupla, ou seja, sermos um dentro da Igreja e outro na esfera público-social. Devemos, de forma legítima e legal, exercer nosso direito fundamental de expressão quanto à tramitação de projetos de lei, além de efetivar nossas garantias políticas quanto ao acompanhamento dessas demandas, com a devida comunicação junto aos parlamentares que nós mesmos elegemos. Precisamos viver a cosmovisão cristã que cremos, a qual, conforme conceitua o preclaro Prof.º Jonas Madureira: “É o compromisso do coração que determina a estrutura de plausabilidade do mundo”, ou seja, é forma com a qual o mundo tem sentido para cada um de nós. Não é possível que nos intitulemos cristãos se essa forma de ver o mundo (cosmovisão cristã) não estiver intrinsicamente ligada à cada esfera de nossas vidas, seja pública ou privada. Ademais, é dever de cada um de nós exercer legitimamente nossos direitos e prerrogativas constitucionais. Por fim, faço um apelo para que nós, filhos de Deus, tomemos parte nesta luta em favor dos valores cristãos! Insiro, o link com os contatos de todos os Deputados Federais no Brasil (http://www2.camara.leg.br/deputados/pesquisa). Acesse o link e encaminhe a seguinte mensagem ao parlamentar que você elegeu (ou outra mensagem que brotar no seu coração, lembrando que a mensagem abaixo é apenas de uma sugestão): “Prezado Deputado(a), venho por meio desta mensagem, acreditando que Vossa Excelência exerce de maneira representativa os interesses de seus eleitores, solicitar sua atuação ativa e permanente no sentido da aprovação do Estatuto do Nascituro, de maneira que estanquemos a cultura de morte gerada pelos interesses abortistas no Brasil. Como seu eleitor, certo de sua atuação, como condição necessária para que o meu voto continue sendo depositado em Vossa Excelência, agradeço, desde já, o atendimento desta solicitação. Estarei acompanhando a atuação de Vossa Excelência nesse sentido, certo de sua atuação esmera e veemente quanto a esta matéria. Atenciosamente,” Que Deus abençoe a todos, gerando em cada um de nós a força do Senhor, de maneira que saiamos do comodismo e da inércia, e que, de forma legítima, reivindiquemos a aplicação de nossos princípios, de forma que nossa sociedade seja moldada através dos princípios de nosso Senhor Jesus, por meio dos quais vivemos e alcançamos a verdadeira paz. Graça e Paz! Fonte: 1. Academia da Associação Nacional dos Juristas Evangélicos – ANAJURE. 2. Palestra da Professora Lenise Garcia, no Academia ANAJURE.

DEFININDO "INSPIRAÇÃO PELO ESPÍRITO" - PASTOR BILLY GRAHAM - O PODER DO ESPIRITO SANTO

Quando falamos da inspiração da Bíblia, nos depararmos imediatamente com uma das questões mais controvertidas de todas as épocas. Desde que Satanás pôs Eva em dúvida, no Jardim do Éden, perguntando: "É assim que Deus disse.. .?" os homens têm atacado a Palavra de Deus. Mas sempre que duvidaram dela, no decurso da História, sofreram tristes conseqüências na vida pessoal, na nação (o Israel antigo) ou da Igreja. Sem exceção, as pessoas, a nação e a Igreja entravam em declínio espiritual, seguido muitas vezes de idolatria e imoralidade. Estudiosos competentes concordam que o Espírito Santo não usou os autores bíblicos como meros secretários, aos quais Ele ditou as Escrituras, apesar de alguns crentes sinceros acreditarem que Ele o fez. A Bíblia não dá detalhes de como o Espírito Santo alcançou Seu objetivo: fazer com que a Bíblia fosse escrita. Sabemos, no entanto, que Ele usou mentes humanas e que guiou os pensamentos de acordo com Seus propósitos divinos. Além disto, para mim sempre foi claro que não poremos ter idéias inspiradas sem palavras inspiradas. Seria de muita ajuda definir as palavras mais importantes relacionadas com Escritura soprada por Deus. A primeira é inspiração. Quando falamos de inspiração total (ou plenária) da Bíblia, queremos dizer que toda a Bíblia foi inspirada, não só partes dela. O Dr. B. H. Carroll, fundador do maior seminário teológico do mundo (Seminário Teológico Batista do Sudoeste, de Fort Worth, no Texas), falou e escreveu extensamente sabre este assunto: "... a Bíblia é chamada de santa porque é infalível,  (soprada por Deus), produzida pelo Espírito Santo... Muitas pessoas dizem: 'Eu acho que a Palavra de Deus está na Bíblia, mas não acredito que toda a Bíblia seja Palavra de Deus; ela contém a Palavra de Deus, mas não é a Palavra de Deus' "Minha objeção a esta afirmação é que seria necessário inspiração para dizer quais as passagens que são inspiradas. Exigiria uma inspiração mais difícil de ter do que a que eu estou falando, para virar as páginas da Bíblia e dizer o que é Palavra de Deus ... "Em outras palavras, a inspiração da Escritura é plenária, ou seja, total e completa. E agora eu pergunto a você: 'Você acredita em uma inspiração plenária da Bíblia?' Se a inspiração é completa, tem de ser plenária. Minha pergunta seguinte é: "Você acredita em uma inspiração plenário-verbal?' Eu acredito, pela simples razão de que as palavras são meros sinais de idéias, e eu não saberia como chegar à idéia se não através de palavras. Se as palavras não me disserem a idéia, como chegarei a ela? Às vezes a Palavra é pequena, talvez só uma letra ou um sinal ortográfico, palavras de uma letra só – a menor letra até – mostram a inspiração do Antigo Testamento. O homem que as pôs ali era inspirado. "Analise as palavras de Jesus: 'Nem um i ou um til jamais passará da Lei'. O "i" é a menor letra do alfabeto hebraico, e o "til" é um pequeno acento. Jesus disse que os céus passarão, mas nem um i ou um til da Lei passarão. Com isto Ele está dizendo que nenhuma parte da Escritura perderá a validade. O que não perderá a validade? Tudo que tiver sido escrito e for . E a Palavra não é inspirada se não for , que significa soprada por Deus, inspirada por Deus.2 Poderíamos dizer muito mais sabre a completa confiabilidade da Bíblia. Só para ilustrar: A Bíblia usa centenas de vezes frases como "Diz o Senhor", "Veio a mim a palavra do Senhor, dizendo", etc. Também é interessante que Jesus nunca disse que devêssemos duvidar das passagens difíceis do Antigo Testamento. Por exemplo: Ele aceitava como fato, não como ficção, as histórias de Jonas e do grande peixe, de Noé e da arca, da criação de Adão e Eva. Se estas histórias não fossem literalmente verdadeiras, com certeza Ele teria nos avisado disto. Mas sempre de novo Jesus (e os autores do Novo Testamento) citava as Escrituras como tendo autoridade e como verdadeira Palavra de Deus. Sem dúvida a inspiração pelo Espírito Santo não se refere às muitas traduções em português, mas às línguas originais. Nenhuma língua moderna, seja português, inglês ou francês, tem equivalentes exatos para cada palavra grega ou hebraica. Não obstante, muitos estudiosos concordam que a maioria das traduções, com todas as suas variações, não alteram nem distorcem os ensinos teológicos básicos das Escrituras – principalmente os que tratam da salvação e da vida cristã. Minha esposa possui mais de vinte traduções diferentes da Bíblia. Depois de comparar todas elas sobre alguma passagem da Escritura, ela pode ter certeza de que tem uma boa idéia do que o Espírito quis exatamente dizer. Também é interessante que algumas palavras não puderam ser traduzidas para outras línguas, de modo que foi necessário mantê-las na língua original. A palavra grega para "batismo" não tinha equivalente em português, por isto tornou-se uma palavra da nossa língua. O Espírito Santo tomou providências para que a Bíblia não fosse um livro morto, mas um meio vivo que Ele pudesse usar como quisesse. Há outra palavra que temos de abordar quando falamos sobre a Bíblia. A Bíblia não é só inspirada, mas é também autoritativa. Quando falamos em autoritativa, querermos dizer que ela é a revelação de Deus, exigindo de nós um posicionamento. Nós nos submetemos a ela porque ela veio de Deus. Digamos que alguém pergunte: Qual é a fonte do nosso conhecimento religioso? A resposta é: A Bíblia, e ela é autoritativa. O Dr. R. W. Stott escreveu assim: "Rejeitar a autoridade do Antigo ou do Novo Testamento é o mesmo que rejeitar a autoridade de Cristo. Principalmente porque estamos decididos a nos submeter à autoridade de Jesus Cristo como Senhor é que nos submetemos à autoridade da Escritura ... submeter-se à Escritura é fundamental para a vida diária do cristão, porque sem isto o discipulado, a integridade, a liberdade e o testemunho do cristão estarão seriamente prejudicados, se não totalmente destruídos."3 Sim, cada área das nossas vidas deve estar sob o Senhorio de Jesus Cristo. E isto significa que a luz da Palavra de Deus deve penetrar em cada canto da nossa existência. Não temos a liberdade de escolher e separar as passagens da Bíblia em que queremos acreditar ou obedecer. Deus a deu como um todo, e nós temos de obedecer a toda ela. Agora que eu disse o que eu enteado por autoridade, inspiração e infalibilidade da Bíblia, tenho de responder ainda a uma pergunta. Com base em quê eu creio em tudo isto? Há várias razões para confiar na Bíblia como Palavra de Deus, mas é neste ponto que a atuação do Espírito Santo Se manifesta mais claramente. A verdade é que o Espírito Santo, que foi o autor das Escrituras usando personalidades humanas, também atua sobre cada um de nós, para nos convencer de que a Bíblia é a palavra de Deus, e que devemos confiar nela em tudo. João Calvino, em suas Instituições da Religião Cristã, escreveu um parágrafo sobre a atuação do Espírito Santo que eu gosto muito: "Por isso, o mesmo Espírito que falou pela boca dos profetas tem de entrar em nossos corações para nos convencer de que eles disseram fielmente o que lhes fora divinamente ordenado... Se ele não iluminasse as suas mentes, eles estariam vogando entre muitas dúvidas! ... Daí a certeza: Os que o Espírito ensinou interiormente se apoiam firmemente sobre a Escritura, que dá autoridade a si mesma, não sendo portanto direito sujeitá-la a provas e raciocínios. E a autoridade a que ela tem direito lhe é dada pela atuação do Espírito. Parque mesmo se ela granjeia reverência a si por sua própria majestade, só nos afeta seriamente quando selada sobre nosso coração pelo Espírito." Calvino continua: "Por isso, iluminados por seu poder, cremos que a Escritura vem de Deus, e não por decisão de quem quer que seja; sem que a mente humana o possa compreender, afirmamos com absoluta certeza (como se estivéssemos olhando para a majestade do próprio Deus) que ela fluiu a nós da boca de Deus, através do ministério de homens. Não buscamos provas, nem indicações de autenticidade sobre as quais apoiar nossa decisão; submetemos a ela nossa opinião e nosso raciocínio, como a algo muito além de qualquer suposição! Fazemos isto não como pessoas acostumadas a opinar sobre alguma coisa desconhecida que, sob análise mais acurada, lhes desagrada, mas plenamente conscientes de que possuímos a verdade incontestàvel!"

O INÍCIO DA MISSÃO AZUSA - A HISTÓRIA DO AVIVAMENTO AZUSA SEGUNDO FRANK BARTLEMAN

Quinta-feira, dia 19 de abril, enquanto estávamos sentados na reunião do meio-dia no auditório Peniel, Rua South Main, 227, de repente o chão começou a mexer-se. Uma sensação horrorosa tomou conta de todos. Ficamos sentados, muito espantados. Muitas pessoas começaram correr para o meio da rua, olhando ansiosamente para os edifícios com medo que caíssem. Foi uma hora muito séria. Eu fui para casa e depois de um período de oração, o Senhor me mostrou que deveria voltar para reunião que havia sido transferida da Rua Bonnie Brae para a Rua Azusa, 312. Haviam alugado uma velha casa de madeira que fora antes uma igreja metodista, no centro da cidade, e que durante muito tempo não fora usada para reuniões. Tornara- se um depósito de madeira velha e cimento, mas agora limparam a sujeira e o entulho o suficiente para colocar no meio umas tábuas, em cima de barris velhos. Desta forma, dava lugar para cerca de trinta pessoas, se é que me lembro corretamente. Sentavam-se formando um quadrado, olhando uns para os outros. Senti tremenda pressão interior para ir à reunião daquela noite. Era minha primeira visita a Missão Azusa. Mamãe Wheaton, que estava vivendo conosco naquela época, iria junto. Ela andava tão devagar que eu mal conseguia esperá-la. Chegamos lá finalmente e encontrei cerca de doze irmão, alguns brancos e alguns negros. O Irmão Seymour estava lá dirigindo. A "arca do Senhor" começou a se mover vagarosamente, mas com firmeza em Azusa. No princípio era carregada nos ombros de sacerdotes indicados por Ele mesmo. Não tínhamos nenhuma "carroça nova" naqueles dias para agradar as multidões mistas e carnais. Tínhamos de combater contra Satanás, mas a "arca" não era puxada por bois (bestas ignorantes). Os sacerdotes estavam "vivos para Deus", através de muita preparação e oração. O discernimento não era perfeito, e o inimigo tirou algum proveito disto, e trouxe algumas críticas ao trabalho, mas os irmãos logo aprenderam a "apartar o precioso do vil". Todas as forças do inferno estavam combinadas contra nós no princípio. Nem tudo era benção. Na realidade, a luta foi tremenda. Satanás procurava espíritos imperfeitos, como sempre, para destruir a obra, se possível. Mas o fogo não podia ser apagado. Irmãos fortes haviam se reunido com a ajuda do Senhor. Aos poucos levantou-se uma onda de vitória. Mas tudo isto veio de um pequeno começo, uma pequenina chama. Preguei uma mensagem na minha primeira reunião em Azusa. Dois irmãos falaram em línguas. Muitas benção parecia acompanhar estas manifestações. Em breve muitos já sabiam que o Senhor estava operando na Rua Azusa e pessoas de todas as classes começaram a vir às reuniões. Muitos estavam apenas curiosos e não acreditavam, mas outros tinham fome da presença de Deus. Os jornais começaram a ridicularizar e a debochar das reuniões, oferecendo-nos desta maneira muita publicidade gratuita. Isto trouxe as multidões. O diabo superou-se a si mesmo outra vez. Perseguições externas nunca fazem mal à obra. Tínhamos de nos preocupar mais com os espíritos malignos que trabalhavam dentro da obra. Até espíritas e hipnotizadores vieram investigar o que fazíamos e tentar nos influenciar. Apareceram então todos os descontentes religiosos e charlatães procurando um lugar para trabalhar. Estes é que nos causavam mais temor, porquanto constituem sempre perigo para todos os trabalhos que estão sendo iniciados, e não encontram guarida em outros lugares. Esta situação lançou tal medo sobre muitas pessoas que foi quase insuperável e impediu muito a ação do Espírito. Várias temiam buscar a Deus por pensar que o diabo poderia pegá-las. Descobrimos logo no início que quando tentávamos segurar a "arca" (I Crônicas 13:9), o Senhor parava de trabalhar. Não ousávamos chamar muita a atenção do povo para o que o maligno tentava realizar, pois medo seria o resultado. Só podíamos orar. Então Deus deu-nos a vitória. Havia a presença de Deus conosco através da oração; nós podíamos contar com ela. Os líderes tinham uma experiência bastante limitada, e a grande maravilha é que o trabalho tenha sobrevivido contra seus poderosos adversários. Mas era de Deus. E era este o segredo. Um certo escritor disse bem: "No dia de Pentecostes, o cristianismo enfrentou o mundo; era uma nova religião sem universidade, povo ou patrocinador. Tudo o que era antigo e venerável se levantou em oposição maciça contra ele, e ele não bajulou ou procurou conciliar-se com nenhum deles. Foi de encontro a todos os sistemas existentes e todos os maus costumes, queimando à medida que passava todas as inumeráveis formas de oposição. Isto realizou só com sua língua de fogo." Outro escritor disse: "A apostasia da igreja primitiva veio porque os cristãos queriam ver seu poder e governo se espalhar, mais do que a transformação e vida de cada um dos seus membros. No momento em que nos regozijamos com as multidões que se aderiram à nossa versão ou conceito da verdade, em lugar de buscar a transformação de vidas individuais de acordo com o plano divino, já estamos andando na estrada da apostasia que leva à Roma e às sua filhas."

LIÇÃO 44 O PERFIL DE UM LÍDER ESTUDANDO O ANTIGO TESTAMENTO CENTRO DE FORMAÇÃO APOSTÓLICA

O Livro de Esdras ensina que muitas vezes as adversidades são sinal de aprovação e confirmação de que a obra de Deus está sendo realizada. Mas a mensagem de Esdras não é sobre ser derrotado nem distraído pela oposição. Existem muitos princípios que aprendemos com Esdras e eles podem ser assim resumidos: O plano de Deus é usar o Poder de Deus, no Povo de Deus, para cumprir os Propósitos de Deus, de acordo com o Plano de Deus.

quinta-feira, 20 de julho de 2017

BOLSONARO TEM 30 MILHÕES DE VOTOS, APONTA PESQUISA PARA AS ELEIÇÕES DE 2018 NÚMEROS SÃO ALCANÇADOS QUANDO É TRANSFORMADA A PORCENTAGEM DE VOTOS EM NÚMERO DE VOTOS

A Ultima pesquisa sobre as eleições presidenciais de 2018, divulgada pelo DataPoder360, na Ultima semana, mostrou o deputado federal e pré-candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro, com 21% dos votos nos dois cenários pesquisados. Mas quando esses números são transformados em milhões de eleitores, qual o desempenho do parlamentar que ainda não tem partido definido para concorrer à Presidência da República no ano que vem? No Brasil, há 144,08 milhões de eleitores aptos para votar em 2018, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral ÇFSE) Os 21% que Bolsonaro alcança em cada um dos cenários representam 30,2 milhões de eleitores. No primeiro cenário, em que Lula aparece com 26%, Bolsonaro tinha apenas 14% em junho e chegou a 21% este mês Traduzindo para milhões, significa que Bolsonaro ganhou 10 milhões de votos no período de um mês. Para entender melhor, cada ponto percentual alcançado por um candidato representa 1,44 milhão de votos. Quase 50 milhões de eleitores ainda não se decidiram em quem vão votar em 201& Falta pouco mais de um ano para as eleições.